sábado, 25 de junho de 2011

Valores Cristãos - Alegria


Alegria: a força da vida.
“... portanto não vos entristeçais. Porque a alegria do Senhor é a vossa força!” Neemias 8.10b

A História do Jardineiro Hiroshi

Hiroshima era o velho mais sorridente que a pequena cidade de Nova Esperança conhecia. Jardineiro da igreja durante muitos anos. Cuidava com carinho e dedicação das flores, dos arbustos recortados e do lindo pé de cerejeira, cuja semente trouxera do Japão, sua saudosa terra natal. Estava sempre contente, mostrava um sorriso tão largo, que suas bochechas se escondiam seus olhinhos negros. Ele sempre tinha uma história ou um provérbio para ensinar.


Acompanhava o sermão de domingo e se despedia de todos na saída, sempre desejando: - Muitas alegrias hoje! Certa ocasião, a família Ramos estava reunida na igreja: Sr. Paulo, a esposa Fernanda e seus três filhos, Juliana, Gustavo e Letícia, acompanhavam a celebração da páscoa. Gustavo estava muito deprimido; não estava indo bem na escola, a garota de quem ele gostava estava se mudando e não tinha certeza quanto ao curso que devia escolher. Sentia-se perdido e incompreendido. Havia acompanhado a família na igreja por insistência da mãe, mas não sabia o que estava fazendo ali. Seu coração estava apertado e a vontade que ele tinha era de sair correndo. Mas o que estava realmente incomodando era aquele velhinho japonês, olhando e sorrindo para ele a toda hora.


“Esse velhinho deve ser maluco.” – Pensou Gustavo. Quando a cerimônia chegou ao fim, na hora da saída, todos se cumprimentaram no salão, Gustavo estava em um canto, quando o Sr. Hiroshi se aproximou e, sorrindo disse:- Muita alegria para você, jovem! Gustavo olhou aquele velhinho e perguntou: - Eu te conheço? Hiroshi deu um belo sorriso e disse: - Faz tanto tempo, você era pequeno, vinha à igreja com sua mãe e não conseguia ficar quieto. Então eu levava você para o jardim, para passear entre as flores e brincar na cerejeira.


Gustavo se lembrou. Realmente fazia muito tempo. – Como vai jovem Gustavo? Perguntou Hiroshi, com preocupação na voz. – Parece triste! – Estou com uns problemas. Falou o menino. O velho jardineiro fez um convite: - Vamos caminhar no jardim? -Talvez você se alegre um pouco. Gustavo respondeu com rapidez: - As flores não vão me alegrar Sr. Hiroshima, muitas coisas mudaram.


O jardineiro prontamente respondeu: - As coisas não mudam jovem Gustavo. As pessoas é que mudam. Mas deixa eu lhe contar uma história! Vamos até o jardim? O velho insistiu tanto que Gustavo ficou sem jeito e acabou concordando. No jardim, Sr. Hiroshi mostrou as flores, os arbustos por onde o Gustavo menino se escondia e, finalmente, pararam embaixo de uma linda cerejeira, onde estava um banco de pedra. O jardineiro iniciou a conversa: - Vou lhe contar um segredo: A alegria é à força da vida! Gustavo não entendeu nada. – Como é que é? – A tristeza pode adoecer o coração, jovem Gustavo. Assim como o sol dá energia e calor para as flores, a alegria dá energia ao coração, ela a força de Deus, sabia? – O que o senhor entende de tristeza/ Perguntou Gustavo. – Está sempre sorrindo! Parece que nunca tem problemas!


O velho jardineiro sorriu e disse: - Entendo bem de tristeza e sei o mal, que ela causa, jovem Gustavo. Eu fui criança no Japão em tempos de guerra. Nossa cidade foi bombardeada e passei uma noite com minha mãe e meus irmãos em um abrigo subterrâneo, ouvindo gritos, tiros e explosões. Chorava de medo, quando minha mãe me disse: - Hiroshi lembre-se: “O choro pode durar uma noite, mas a alegria virá pela manhã”. – Ela era uma das poucas mulheres que conhecia a Bíblia e, como não podia lê-la abertamente, decorava versículos para nos animar. Aprendi que “A alegria do Senhor era a nossa força para continuar vivendo”. Sabe por que Gustavo? Fugindo da guerra, na hora de entrar no barco, eu pisei em uma mina. Perdi uma parte da perna e desmaie de dor. Quando acordei, minha estava ao meu lado, sorrindo, ela estava alegre.


Gustavo interrompeu a história, revoltado: - Ela estava alegre com tanta tragédia? Hiroshi respondeu: - Ela estava alegre, porque eu estava vivo! O maior motivo de estarmos alegres é o de estarmos vivos. A vida já é um motivo para festejarmos. Tivemos dificuldades quando chegamos ao Brasil, mas vencemos todas com alegria.


- Tenho uma perna mecânica, mas não deixei de brincar na escola, trabalhar, casar e viver minha vida. A alegria de minha mãe me deu forças para superar tudo. E esta cerejeira é a minha lembrança. Quando ela floresce, eu vejo o sorriso da minha mãe entre as flores. Então, sorrio também. Alegria e fé são as armas de Deus para com bater as tristezas da nossa vida!


De repente, Gustavo viu que sua tristeza não tinha sentido. Ele precisava sim, era daquela alegria. – Como são mesmo aqueles versículos? Hiroshi sorriu e disse: “O choro pode durar uma noite inteira, mas a alegria virá pela manhã!” E colocando a mão sobre o ombro de Gustavo, continuou: “A alegria do Senhor é a nossa força!”


 Outros títulos da coleção!


Um comentário:

  1. ACHEI MUITO INTERESSANTE ESTA HISTÓRIA! AMIGO TEM UMA INDICAÇÃO LÁ NO MEU OUTRO BLOG PRA VC PASSA LÁ!
    WWW.SOUCRISTAOESIRVOAJESUS.BLOGSPOT.COM
    SELINHOS BRINCADEIRA DE TAGS

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...