domingo, 22 de janeiro de 2012

Multiplicação dos Pães


Jesus alimenta 5000

Jesus convoca seus apóstolos a uma missão especial, a de pregarem e ensinarem acerca do Reino de Deus. Ainda deu-lhes autoridade para curarem e expulsarem os demônios. Ao retornarem contam maravilhados os milagres realizados e a recepção calorosa dos ouvintes. Então atravessam o mar da Galiléia com destino a Betsaida, talvez para descansarem um pouco. Mas a multidão logo soube e partiu ao encontro de Jesus na outra margem, chegando até mesmo primeiro do que ele. A multidão testemunha tantos milagres e maravilhas realizados por Jesus, por isso o seguem.


Jesus vê a multidão e a necessidade, tanto material como espiritual. Ele até afirma que: - “... são como ovelhas que não tem pastor!” Compadecido e desejoso de ampará-los segue a um monte próximo e passa a ensiná-los.


O ensino se prolonga até à tardinha. Isto causa certo incomodo a ponto de Filipe ir falar com Jesus sobre a possibilidade de dispensá-los para que fossem se alimentar nas aldeias circunvizinhas. Jesus ordena que eles (os apóstolos) os alimentassem. Filipe o aborda informando até mesmo o custo para alimentá-los considerando é lógico todas as improbabilidades (dinheiro, lugar, quantidade).


Estavam ali reunidos aproximadamente 5000 homens, fora as mulheres e crianças. Então Pedro intervém comunicando que está ali um menino que tem 5 pães e dois peixes.


O mestre solicita a presença do menino, que lhe é apresentado rapidamente.


O Senhor Jesus ao tomar o pão, abençoou, deu graças, e o repartiu. De igual forma tomou os peixes abençoou, deu graças e o repartiu.


Para que todos se alimentassem foi necessário que se organizassem em grupos e se assentassem na grama (era o período da estação da primavera e da páscoa).


 Num momento ímpar e diante de seus olhos, como num passe de mágica, o pão e o peixe se multiplicaram. E quanto mais se dividia mais aumentava.


Após se organizarem todos, receberam o alimento, alimentaram e saciaram-se todos, ao ponto de sobejar.


O pão e o peixe era a forma simples e de baixo custo para se alimentar. Era uma refeição para pessoas pobres. Jesus reconstrói a idéia do maná e das codornizes que foram alimentos nas mediações do monte Sinai. Também traz a memória à ceia. Tudo precedeu a morte do precursor do messias, o profeta João Batista.


Jesus notando que estavam saciados e vendo que haviam sobrado 12 cestos solicita que o guardem, para uma outra ocasião. Além da multiplicação, fartura e um não ao desperdício.


A ação causou grande temor e se ouvia falar: “Este é o profeta que havia de vir!” Naturalmente Jesus se retira em particular e sozinho. Quantas lições preciosas em uma lição.

Obs.: Querido professor e ministro de crianças ore e permita que o Espírito Santo fale mais ao seu coração. Na página download você baixa essa lição em slides (power point)


Imagens extraídas do site Jardim de Louvor!




Os desenhos Bíblicos podem ser da Focus Kids
ou da Ciranda Cultural

A música é do Grupo 4/1 da MK Music

Um comentário:

  1. Maryana... Graça e Paz. Quero agradecer por estar seguindo o blog "Apascentar os pequeninos". Você é a mais nova seguidora. Obrigado pelo carinho e apoio. Ainda quero parabeniza-la pelas cinco páginas suas, nada humilde você! (rsrsrs) Parabéns pela dedicação e organização. Fica com Deus!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...