sábado, 13 de julho de 2013

Willian Samuel


Ele nasceu normal e sem aparentar nada, fisicamente nem psicologicamente, mas quando estava com 2 anos e 5 meses, da noite para o dia, ficou assim sem falar e regrediu tudo no que havia desenvolvido.

Consegui descobrir, depois de um ano de buscas, em inúmeras consultas em médicos o diagnóstico - autismo moderado para grave. Com 4 anos consegui a vaga para ele na APAE e começaram os acompanhamentos, e em casa por mim (Elisângela - Mãe) No primeiro ano foi o mais difícil pois ele não comia, não aceitava o que a professora pedia e tomava como remédio só o Risperidona em gotas, mas não via resultados.

Não desisti e continuei medicando, pois  segundo pesquisas, o Risperidona  como tratamento contínuo, permite muitas as chances de cura. Depois foi adicionado o Atencina o Neuleptil e no ano passado (2011) o Carbonato de Litio, onde este por último é o que tenho visto surtir melhor efeito. Hoje dou o Risperidona em cápsulas e também vi progresso quanto a atenção dele, que era quase nada. Ele não se comportava agora está muito bem.

Um dos desafios maiores para mim de lá para cá foi que, além da agressividade de se morder, de não se socializar, era o de agredir a si mesmo e aos outros por não gostar de algo ou situações de rotina. Tipo, se mudava a rotina ele ficava muito mal mesmo e se jogava no chão colocava as mão nos ouvido e gritava tanto, sendo isso em ônibus, lugares públicos: igrejas, mercados e dai por diante ele fugia, pois não tinha noção do perigo. Não dormia no começo, gritava muito e ainda grita um pouco, mas ele melhorou muito. Ele não comia comida: arroz e feijão, legumes e verduras, era tudo alimento solto, seco ou frito ou assado e geralmente produtos de mesma marca se mudasse a marca rejeitava e agora já está aceitando comer arroz e feijão e na questão da mudança de rotina, está se comportando melhor e aceitando um pouco.

Posso dizer: que de tanta aflição que passei, hoje está bem melhor. Perseverei na questão de estar lendo tudo o que me fosse disponível sobre assunto ‘autismo’ e procurando fazer o que a professora do Willian me pedia, ou a médica. Digo que tudo isso valeu a pena.

No começo fica tudo muito difícil pois é muito delicado.  Tem que ter muita firmeza, buscar conhecimento e ter fé. Procurar não ficar nervosa. Conhecendo sobre o autismo, conhecemos mais sobre nossos filhos e aprendemos a se superar, também. Pois quando houver uma situação difícil através de certo conhecimento sobre o autismo podemos nos dar bem em várias adversidades que podemos estar passando conosco ou com eles. Se ele tiver um surto e se mantermos a calma, passaremos esta segurança para ele, conhecendo o problema. Essa é uma parte da minha, da minha história e da minha luta!

Elisângela

Para saber mais consulte o site do


Esta é uma homenagem ao Willian e sua dedicada mãe, Elisângela. Que Deus continue lhe abençoando e te dando toda a força que precisa ter.

5 comentários:

  1. Que linda história de um amor incondicional. Que Deus continue abençoando o Willian Samuel e sua mãe guerreira. Força pois a alegria do Senhor seja a tua força. Um abraço fraterno. bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada querida, preciso mesmo de muita força seja por uma palavra, pelos amigos e principalmente por Deus um grande abraço meu e do willian!

      Excluir
    2. A nossa maior ajuda no momento é através da oração e palavras. Que o Senhor seja contigo: hoje, amanhã e sempre!

      Excluir
  2. que surpresa agradável amigo Fausto fiquei muito feliz por este post, e lendo tudo parece ter uma visão melhor do que escrevi obrigada por tudo! um grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reescrevi para ter certeza que entendi tudo. Mas fiquei feliz por ter aprovado, acredito então que não alterei a essência! Deus te abençoe!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...