quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

A Torre de Babel



A Torre de Babel

Gn 11.1-4 

Não fazia muito tempo que Deus havia mandado um juízo que destruíra todo ser vivente. Mesmo assim vemos aqui, mais uma vez, o homem entrando numa rebelião aberta contra Deus. O interessante é que esta rebelião tinha a aparência de uma coisa boa, a união. A vontade de Deus para nós é que cresçamos nos multipliquemos e enchamos a terra. Porem, muitas vezes acontece de o povo de Deus ficar habitando numa só “terra”, falando uma só linguagem, e tudo isto sob a bandeira da “união”. Quando a igreja começou, estavam todos “unidos” em Jerusalém, até que Deus enviou um furacão de perseguição, que espalhou o povo por toda parte (At 8.1-5). 


Note que, quando os homens resolveram construir uma cidade e uma torre, eles erraram na origem, na maneira e no propósito do trabalho. Quando eles disseram “vinde , façamos” (v 3), estavam mostrando que seu trabalho não estava se originando em Deus e sim neles mesmos. Não há nada de errado em se fazer uma torre, o problema é que eles estavam começando algo sem a ordem ou aprovação de Deus. Esta é uma característica de todo trabalho infrutífero. Ele sempre começa no próprio homem e nunca pode gerar nada espiritual. 


O mesmo versículo 3 diz que eles fizeram tijolos. O que estes tijolos representam? Eles representam tudo o que é artificial. Os altares feitos para se adorar a Deus deveriam ser feitos de pedras brutas e nenhuma ferramenta deveria tocar nestas pedras, pois o serviço a Deus não deveria ter nada artificial (Ex 20.25). Todo trabalho humano é artificial, pois não tem vida. 


O versículo 4 diz que eles fizeram a cidade para tornar o nome deles célebre. Esta também é a motivação de todo trabalho humano, seu único propósito é glorificar o nome do homem. Este desejo de glorificar a si mesmo está escondido por trás de grandes realizações. Quando Deus mandou Saul destruir Amaleque, deixou bem claro que tudo da cidade deveria ser destruído (1 Sm 15.3). Porém, Saul poupou o rei Agague, o melhor das ovelhas e dos bois e os animais gordos e os cordeiros (v 9). Ele disse que havia poupado os animais para oferecer ao Senhor como sacrifício (v 15). Porém o versículo 12 diz que Saul estava construindo um monumento para si. Quem diria, heim?! Por detrás de um gesto tão “religioso”, o que estava escondido era o ego. Os motivos errados estão escondidos até mesmo em atitudes aparentemente espirituais. 


O Senhor Jesus falou até mesmo de alguns que fazem da oração o seu monumento (Mt 6.5). Note que o povo que decidiu construir a torre também tinham seus motivos “espirituais”, “tocar o céu”(v 4). Cuidado com o desejo de tornar seu nome célebre. Deus pode engrandecer o nome de alguém (Gn 12.2), mas, Ele só faz isso com aqueles que buscam a Sua glória.


Anexos







Hino c/ Alessandra Samadello

Desenho do Midinho

2 comentários:

  1. Esta semana o blog chegou a marca de 150.000 acessos, e quero agradecer a Deus pela oportunidade de poder colaborar com outros evangelistas. Não tenho pretensão de ser o blog, apenas colaborar com aquilo que tenho conhecimento, e diga-se de passagem que é bem modesto! Agradeço aos 123 seguidores e a todos que anonimamente passam por aqui e se utilizam das informações do site. Peço que orem por mim, apenas, para que a graça de Deus seja sobre minha vida.
    Quero também agradecer a mais um seguidor (o 123°), a Victória lá da Espanha. Aliás ela faz um trabalho artesanal sensacional!
    http://isla300.blogspot.com/
    Fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  2. Que a Paz de Deus esteja sempre em sua vida irmão Fausto, eu e minha esposa louvamos a Deus por seu ministério e agradecemos por seu blog pois ele nos inspira e é um prazer passar por aqui sempre, admiro seu trabalho pois é muito bem elaborado, parabéns. Espero que não se importe que nós peguemos alguns materiais para usar em nosso blog de Curso Bíblico Infantil. Amém.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...