quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Simeão e Ana

SIMEÃO E ANA

Texto Bíblico:
Lucas 2:21 -39

Simeão e Ana foram dois fiéis que adoravam no Templo de Jerusalém. Ambos esperavam o Messias que haveria de vir segundo o seu Antigo Testamento tinha predito.
Um dia, um casal pobre e o seu bebê chegam com a oferta prescrita pela Lei, para apresentar o seu filho recém-nascido ao Senhor, a mãe da criança também necessitava de purificação de acordo com a Lei Mosaica. Simeão viu algo extraordinário nesta pequena família. Por fim, a esperança da vida de Simeão tinha aparecido e, através do Espírito Santo, que reconheceu no pequeno bebê o cumprimento da promessa de Deus de salvação para todos. Lucas não diz se Simeão era um sacerdote do templo ou não, mas já que profetizou e foi possivelmente abordado por Maria e José, quando eles levaram Jesus para a apresentação, torna possível que ele fosse um dos sacerdote. Ana, também, apesar dos seus 84 anos, alegrou-se com a salvação que havia chegado a Jerusalém na forma desta criança. Ela começou a dizer a todos que, como ela, esperava a redenção da nação que o Redentor havia finalmente chegado.





Quando foi isso?

Isto aconteceu quando Jesus tinha apenas alguns dias de idade, então você poderia pensar que isto pode ser datado com precisão (em 1 d.C.). Mas o compilador do calendário cristão tem algumas coisas erradas. Herodes, que estava vivo quando os sábios vieram à procura de Jesus, morreu em 4 a.C., de modo que seria mais ou menos no tempo que Jesus foi trazido ao Templo por Maria e José. Você pode ler sobre este encontro entre uma família jovem e estas duas pessoas idosas em Lucas capítulo 2, versículos 21 - 40. É um relato que vem logo após o glorioso registro do nascimento de Jesus e da aparição dos anjos aos pastores nos campos (Lucas 2:1-20).

Porque essa Visita?

Maria e José eram um casal judeu devoto, ansiosos por guardar a Lei e somos informados de que Jesus nasceu sob a Lei de Moisés, que era a lei de Deus para a nação nesse tempo. “Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos.” (Gálatas 4:4,5) Eles já haviam circuncidado e dado o nome a Jesus no oitavo dia (Lucas 2:21). Agora ele tinha que ser apresentado ao Senhor, como a lei exige (Êxodo 13:2, 11,12; e Números 3:11-13). E a própria Maria teve que ser purificada de acordo com a Lei (Levítico 12:2 – 6, 8).

O que Aconteceu?

No templo, o justo e devoto Simeão, levou o menino Jesus em seus braços e pediu a Deus para permitir que agora pudesse morrer (Lucas 2:29). A vida de serviço de Simeão estava terminada. Foi uma ocasião repleta de simbolismo, pois em Simeão, temos um retrato da velha, e moribunda Lei Mosaica, tendo a promessa da salvação em seus braços. Olhando nos olhos da Nova Aliança (Jesus), ele sabia que tinha chegado o tempo para o fim da Antiga Aliança. Algo melhor havia chegado. Simeão em hebraico significa "ouvir". Lucas diz que ele estava esperando a “consolação de Israel” (Lucas 2:25). Isso significa que ele estava esperando o tempo quando a nação de Israel, então sujeita à ocupação romana, seria finalmente livre. Na realidade, Jesus havia chegado em primeiro lugar para libertá-los da escravidão do pecado. Anna, também, esperava "a redenção de Jerusalém". Ela queria mais do que a liberdade da ocupação estrangeira, mas a liberdade do pecado que tem um poder sobre todas as pessoas. Uma viúva por muitos anos e, possivelmente, sem filhos, como Simeão, Ana tipifica a idosa, e natureza estéril da Aliança Mosaica e regozijava-se de contar sobre o cumprimento da promessa de Deus de um Messias, para qualquer um que estivesse no templo que quisesse escutá-la (Lucas 2:38).

Simeão olhou para o menino Jesus, cujo nome hebraico, Josué, significa “Deus salva” e orou: "meus olhos já viram a tua salvação"(v 30). Ele continuou a dizer que esta salvação era uma luz de revelação para os gentios (não judeus) e para a glória do povo de Israel. Por outras palavras, a salvação de Jesus era para todas as pessoas, um eco do que os anjos tinham dito anteriormente aos pastores. Confirmou, também, o que Isaías profetizou; que o Messias seria "uma luz para o gentios" (Isaías 9:1-2; 42:6, 49:6; 60:1-3). Simeão abençoou a pequena família, e fez três profecias surpreendentes, que: *Jesus causaria a ascensão e queda de muitos (Lucas 2:34); *Jesus seria falado contra (v 34); *Maria iria sofrer muito com o que se passaria com Jesus (v 35). Todas estas profecias foram cumpridas exatamente como predito.

O Que Aprendemos?

1 - O próximo capítulo de Lucas dá uma lista de algumas pessoas importantes no mundo dessa época, começando com o imperador romano, Tibério César. No entanto, a Palavra de Deus não veio para qualquer um deles, mas para um homem humilde no deserto (Lucas 3:2). Desde pastores nos campos até Simeão e Ana de corações abertos, estes versículos mostram que Deus escolhe os humildes, e não os poderosos (Isaías 57:15), a quem Ele se revela e o Seu propósito. 2 - Das previsões de Simeão aprendemos que a salvação de Deus é para todas as pessoas: judeus e não-judeus, pois todos nós precisamos ser salvos do pecado. 3 - Eu, Jesus nasceu num lar e amoroso onde Deus era o centro, um padrão para seguirmos. 4 - Havia alguns no antigo Israel que esperaram pacientemente para o aparecimento do Messias, com esperança, como Simeão, que viveriam para ver a Sua vinda. Jesus voltará uma segunda vez (Atos 1:11). Somos conhecidos de Deus? E estamos com paciência esperando o retorno do Seu Filho? Nós devemos estar!


Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...